sábado, 25 de fevereiro de 2012

Dilma diz que reconstruirá estação destruída na Antártida

DE BRASÍLIA
A presidente Dilma Rousseff divulgou nota lamentando a morte de dois militares no incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, na Antártica, na madrugada deste sábado.
Eduardo Knapp/Folha Imagem
Estação Comandante Ferraz em foto de 2009
Estação Comandante Ferraz em foto datada de 2009
Na nota, a presidente diz que os militares tiveram ato de "heroísmo" e foram "mortos ao servir a Pátria".
Dilma agradeceu o auxílio de outras nações como Chile, Argentina e Polônia. E afirmou que o país tem "A firme disposição (...) de reconstruir a Estação".
Leia a íntegra da nota:
"A presidenta Dilma Rousseff recebeu com grande consternação, neste sábado, a informação sobre o incêndio ocorrido na Estação Antártica Comandante Ferraz, que vitimou os militares da Marinha suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e sargento Roberto Lopes dos Santos, e provocou ferimentos no sargento Luciano Gomes Medeiros.
A presidenta determinou ao Ministro da Defesa, Celso Amorim, a adoção de todas as medidas necessárias para salvaguardar a segurança dos cientistas, militares e visitantes que se encontravam na Base.
A presidenta destaca o heroísmo dos militares no combate ao incêndio e, consternada, manifesta sua solidariedade e do seu governo com as famílias dos dois militares, mortos ao servir a Pátria.
A presidenta reafirma a importância do programa de pesquisas desenvolvido na Estação e elogia a abnegação e o desprendimento dos brasileiros que lá trabalham. A Presidente manifesta, ainda, a firme disposição do País de reconstruir a Estação Antártica Comandante Ferraz.
Em telefonema hoje à tarde, ela agradeceu ao presidente do Chile, Sebastián Piñera, o apoio daquele país no socorro e no resgate dos brasileiros atingidos pelo incêndio.
Agradece, também, o apoio e a solidariedade prestados pelos Governos da Argentina, e da Polônia.
Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República".
ACIDENTE
Informações preliminares da Marinha do Brasil informaram que um incêndio na "praça de máquinas", local onde ficam os geradores de energia da Estação Ferraz, causou uma explosão que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, base militar brasileira de pesquisas na Antártida.
O ministério da Defesa confirmou que dois corpos foram achados nos escombros da estação. Há indícios de que os corpos sejam do suboficial Carlos Alberto Vieira Figueiredo e do sargento Roberto Lopes dos Santos, que estavam desaparecidos.
Outro ocupante da estação, o sargento Luciano Gomes Medeiros encontra-se internado em virtude de ferimentos. Ele será transferido ainda hoje para Punta Arenas e, depois, para o Rio de Janeiro.
A base tinha uma infraestrutura que incluía laboratórios científicos bem equipados, dormitórios e cozinha industrial, biblioteca, oficinas e instalações técnicas para embarcações usadas em expedições.
A Marinha disse estar "extremamente consternada" com o ocorrido. A estação, que começou a operar em 1984, atualmente abrigava 59 pessoas.
O ministro da Defesa, Celso Amorim, divulgou nota de pesar após ter sido informado pelo comandante da Marinha, almirante Júlio Soares de Moura Neto, sobre o acidente.
Segundo o ministério, Amorim recebeu a notícia no início da manhã e, em seguida, informou a presidente, Dilma Rousseff, do ocorrido.
Um Avião da FAB C-130 decolou às 17h30 deste sábado da Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro, em direção ao Chile para resgatar os brasileiros que estavam na estação.
De acordo com a Aeronáutica, o avião fará um pouso em Pelotas (RS) e deverá chegar a Punta Arenas, no Chile, por volta das 3h de amanhã, já considerado o novo horário nacional. Ainda não há confirmação sobre o retorno da aeronave. A previsão é que isso aconteça na tarde de domingo.

Carolina Daffara/Editoria de Arte

3 comentários:

Anônimo disse...

Desta forma, e de todas as formas mais imundas, mentirosas, canalhas da direita midiatica, fica a PERGUNTA PERTINENTE AO SR. DAUDT da folha de são paulo. QUEM FOI seu DAUDT?
FRANCISCO DAUDT, em 19.07.2007
Colunista da Folha de São Paulo

" ...Gostaria imensamente de ter minha dor amenizada por uma manchete que estampasse, em letras garrafais, “GOVERNO ASSASSINA MAIS DE 200 PESSOAS”. O assassino não é só aquele que enfia a faca, mas o que, sabendo que o crime vai ocorrer, nada faz para impedi-lo. O que ocorreu não pode ser chamado de acidente, vamos dar o nome certo: crime ...Todos sabiam e ninguém fez nada. E não me refiro a você, leitor, que se consome em sua impotência diante deste e de tantos descalabros que vimos assistindo semanalmente. Refiro-me às autoridades (in)competentes, inapetentes de trabalho gestor. Refiro-me ao presidente Lula, que, há quantos meses, ó Senhor, disse em uma de suas bazófias inconseqüentes que queria “data e hora para o apagão aéreo acabar”, como se não dispusesse da devida autoridade para tal... "
E neste caso SEU DAUDT da folha de são paulo, QUEM FOI?

Anônimo disse...

Se o ritmo da reconstrução seguir o das obras do governo federal, acho que até 2025 a metade da reconstrução estará feita, com superfaturamento da ordem de uns 200% em relação ao preço original.

VERA disse...

Antes isso do que o desgoverno do FGAGAC-privateiro-propineiro que, além de NADA fazer pelo povão, ainda NOS ROUBOU 30 BILHÕES DE DÓLARES!!!